top of page

IFF INOVA NO MERCADO DE PERSONAL CARE COM O LANÇAMENTO DE AURIST AGC, UNINDO SUSTENTABILIDADE E BIOTECNOLOGIA

Em entrevista exclusiva, Carolina Montefrio, líder de Personal Care da IFF para a América Latina, conta detalhes sobre a obtenção do ingrediente, suas aplicabilidades, os claims envolvidos, sua interação com a perfumaria e as perspectivas futuras para o mercado global



A IFF é uma empresa global que desenvolve soluções para diferentes indústrias, como as de alimentos, bebidas, fragrâncias, saúde e biociências. Desde 2021, passou a ser chamada internamente de “Nova IFF”, como resultado da união de diversas plataformas, com o intuito de continuar inovando e trabalhando nas limitações que existem nas diferentes indústrias.


Atualmente, estão assumindo uma posição de liderança em Personal Care, através da utilização de toda a experiência e conhecimento em biotecnologia, que os permite criar ingredientes e soluções de impacto positivo tanto para o meio ambiente, quanto para os consumidores, trazendo a inspiração da natureza para gerar soluções mais sustentáveis. Todas essas tecnologias se unem ao universo das fragrâncias para entregar soluções mais abrangentes, como produtos alinhados ao conceito de sustentabilidade, podendo entregar também ingredientes ativos ou funcionais que ajudam a suportar o conceito olfativo, gerando uma melhor experiência sensorial.



Conte-nos sobre a tecnologia DEB (Designed Enzimatic Biomaterials), que está chegando agora ao mercado e seus principais benefícios?


A tecnologia DEB é um processo catalítico que vem sendo desenvolvido pela IFF por mais de 10 anos, realizado através de enzimas provenientes de micro-organismos, capazes de acelerar reações, impedindo que produtos químicos entrem nas reações, utilizando produtos biológicos derivados de micro-organismos para acelerar e facilitar a fabricação de ingredientes.


Com a tecnologia DEB, alcançamos a biopolimerização enzimática, que nos permite a partir de algumas matérias-primas como a cana-de-açúcar e a beterraba, que são provenientes de diferentes origens em nível global, poder gerar ingredientes que cumpram as demandas do mercado consumidor em termos de desempenho e de sustentabilidade.


Esse processo acontece dentro das condições de temperatura e pressões ambientais, no qual ocorre uma polimerização muito suave e que não utiliza solventes, dando origem a um biopolímero de alto desempenho, com funções muito eficazes para diversos fins, como o AURIST AGC, trabalhando com os subprodutos da geração do açúcar da cana e de todos os subprodutos desse processo, como a frutose, que são utilizados em outras aplicações, para evitar o desperdício desse açúcar.


Esse biopolímero possui 3 benefícios:


- Altamente personalizável, ou seja, através da tecnologia DEB, permite gerar uma classe de polissacarídeos de última geração, fazendo com que este biopolímero esteja em conformidade para cumprir alguns benefícios específicos, como por exemplo podendo variar desde o condicionamento de cabelos à modificação da reologia dos produtos;


- Permite gerar uniformidade estrutural. O processo é muito controlado e, em condições muito específicas, isso torna a estrutura do polímero muito uniforme, gerando muita reprodutibilidade;


- Podemos desenhá-lo para que atenda determinadas condições ou benefícios específicos. A sustentabilidade é um dos parâmetros que levamos em consideração na seleção do polímero.



Quais seriam as principais aplicabilidades do biopolímero AURIST AGC?


A partir da tecnologia DEB, desenvolvemos o primeiro ingrediente a nível mundial para Personal Care, que se chama AURIST AGC, um biopolímero condicionante catiônico para pele e cabelos. A tecnologia DEB veio depois do lançamento da família de produtos que se chama GENENCARE, proveniente do subproduto da beterraba.


Atualmente, a família GENENCARE já se encontra nos principais players de Personal Care para oferecer benefícios para pele, como hidratação, anti-envelhecimento, ajudando o microbioma e a saúde da pele. O interessante desse ingrediente é que pode ser utilizado também para os cabelos, aumentando a elasticidade do fio, o brilho, reduzindo a quebra e as pontas duplas, prevenindo até a queda do cabelo, fortalecendo o folículo. Então hoje, embora sejam ingredientes que sustentam os claims de princípios ativos, eles são produtos funcionais, porque estão em uma categoria que nos permite ir para ambas as aplicações.


E, isso é o mesmo que a IFF quer replicar com a linha AURIST AGC, porque ela não funciona apenas para o cabelo, mas também para a pele. Esse biopolímero derivado dessa tecnologia enzimática, por exemplo, funciona como um condicionador que melhora significativamente a penteabilidade dos cabelos molhados ou secos, permitindo substituir os polímeros sintéticos, 100% os silicones ou outros, que possam melhorar a penteabilidade.  Além disso, durante a in-cosmetics mostramos que poderia ser desenvolvido em formulações transparentes.


AURIST ganhou recentemente o Prêmio de ingrediente mais inovador na categoria de ingredientes funcionais na in-cosmetics de Barcelona.



Quais seriam as expectativas e os possíveis maiores impactos esperados, considerando a indústria e o mercado consumidor?


Esse ingrediente irá revolucionar um pouco o mercado, porque sabemos que hoje, toda a indústria da beleza está exigindo sustentabilidade, mas não significa que o rendimento ou o desempenho tenha que diminuir, é uma afirmação onde os produtos têm que ter bases sólidas, evidências científicas, segurança, desempenho, mas também sendo biodegradáveis ​​e sustentáveis.

 

E, isso responde a alguns pontos, primeiramente, de um lado, as empresas, porque os governos estão exercendo uma pressão regulatória para substituir matérias-primas derivadas do petróleo por produtos mais naturais. Em relação aos consumidores, hoje estes se encontram mais conscientes das mudanças climáticas, que é algo muito forte, e que as marcas precisam ter ações reais e mais sustentáveis.


Então, temos o AURIST para a parte de Biopolímeros Enzimáticos e o GENENCARE, que são todos os ativos funcionais, que se combinam dentro das formulações para entregar fortes benefícios ao mercado, criar sinergias e substituir cada vez mais produtos sintéticos, gerando produtos que tenham desempenho igual ou maior, mas com uma ação sustentável para combater as questões de alterações climáticas.


A família GENENCARE e AURIST podem ser combinados em uma mesma formulação?

 

A família GENENCARE possui 4 ingredientes e dependendo da formulação, pode-se usar até os 4 GENENCARE juntamente com o AURIST. Por exemplo: vamos falar de um shampoo ou de um condicionador, onde precisa-se de maior hidratação do cabelo, protegendo as proteínas e reduzindo o frizz e pontas duplas, então eu uso o GENENCARE OSMS BA. Mas, também preciso que ajude a reduzir a queda de cabelo no folículo, não por questões hormonais e sim pela utilização de produtos sintéticos ou secadores de cabelos, então coloco o GENENCARE OSMS MI, com isso já temos 2 ingredientes. Mas, caso queira substituir, por exemplo, produtos condicionadores sintéticos que geram maciez, então adiciono AURIST.

 

Dependendo da quantidade que se põe de GENENCARE na formulação, podemos dizer que é um produto com ingredientes upcycled e assim, gerar certificações. Em determinadas regiões, como por exemplo, nos Estados Unidos, precisa-se ter um pouco mais de 10% de GENENCARE, para gerar um claim muito forte na parte de Upcycling.



Como os biomateriais são desenvolvidos a partir da tecnologia DEB? Relate sobre a forma de obtenção.


Os substratos que são a cana-de-açúcar ou a beterraba geralmente passam por processos de extração de açúcar, e através dessa extração, as enzimas, como aceleram reações, permitem cortar cadeias ou polimerizações. Depois, hidrolisamos esses açúcares e também através de processos enzimáticos, conseguimos fazer polimerizações que acontecem em condições ambientais. Como tratamos de um produto totalmente natural, para gerar o biopolímero AURIST, a biotecnologia intervém para evitar o uso de altas temperaturas, pressões, solventes, combustíveis derivados de petróleo, tentando tornar todo o processo muito mais sustentável, com produtos que no final, possam proporcionar desempenho melhor ou igual ao de um produto sintético.

 

Na outra família de ingredientes, GENENCARE, o que fazemos é utilizar um subproduto da fabricação do açúcar, que serve para alimentação animal, purificá-lo e dar-lhe valor diferente no mercado, unindo os benefícios que ele pode entregar, atuando no cross-category.


Tudo isso é inspirado na natureza, proveniente de uma fonte natural, que não afeta questões alimentares, porque falamos que apenas 1/3 da terra arável é usada para alimentar seres humanos e apenas 0,01% é usado para a geração de biomateriais. Com isso, trabalhamos a partir de uma matéria-prima que não afeta a questão da nutrição global e ao mesmo tempo, o que fazemos é aproveitar os resíduos gerados pela produção de açúcar, para produzir esses biopolímeros, a serem utilizados em aplicações para pele e cabelos.



Como o AURIST e a família GENENCARE atuam dentro das composições? Quais as maiores diferenças que podemos observar nos resultados dos produtos?


Dentro da formulação, o AURIST AGC não cria viscosidade, não há necessidade de regular pH, podendo ser usado em formulações à frio, possuindo compatibilidade com diferentes ingredientes e permitindo que este seja substituído por produtos muito mais biodegradáveis. No caso do produto final ou na aplicação em cabelos, ele age como se fosse depositado como um biofilme ao redor do cabelo, conseguindo gerar maior suavidade, melhorando a penteabilidade, em diferentes dosagens, gerando menos esforço, promovendo uma menor quebra ou menos queda, seja em cabelos lisos, crespos ou ondulados, secos ou úmidos, sendo um claim que pode ser bastante utilizado sem entrar em muitos termos científicos dos folículos.


Diferentemente de AURIST, GENENCARE penetra na fibra e restaura os cabelos danificados. Então, temos estudos por exemplo, em cabelos virgens, que podem chegar a recuperação capilar de 12% a 13% e em cabelos danificados também entre 13% e 14% em aplicações, por exemplo, de um shampoo a 2%, podendo ter não somente reparação, como também proteção a certas condições ambientais.

 

Estes ingredientes são amplamente utilizados na América do Norte e na Europa, onde já existe muito mais pressão regulamentar em relação aos ingredientes.

 

A beleza desses biopolímeros está na capacidade de gerarem benefícios, serem sustentáveis e também proporcionarem uma experiência sensorial, porque o que elas fazem é restaurar e gerar sensação de suavidade.

 

Apresentamos na in-cosmetics latin america o GENENCARE XL, que possui estudos em prol do microbioma da pele, favorecendo os microorganismos positivos que ajudam a ter uma boa saúde e também desenvolvemos um protótipo focado no cuidado íntimo, gerando limpeza e umectação, evitando infecções.


A IFF possuí uma plataforma de enzimas para detergentes, onde nas indústrias de limpeza, também permitem substituir os produtos derivados de petróleo, como surfactantes e outros. Esses ingredientes ajudam a remover manchas difíceis, reduzir tempo, diminuir esforço e energia no processo de lavagem. Temos também fragrâncias, que dão todo o conceito, sensação olfativa de limpeza, de frescor, combinando assim, diferentes negócios.



Vocês realizam alguma avaliação sensorial desses ingredientes? Como os resultados são obtidos?

 

Usamos equipamentos que permitem fazer um processo de lavagem em mechas, com tempo de contato de 1 minuto e nada mais, em diferentes tipos de cabelos. Conseguimos assim, avaliar quantos fios podem chegar a cair ou qual é a tensão que se pode fazer para desembaraçar uma mecha de cabelos, sendo eles secos ou úmidos, depois de uma lavagem convencional. Esses são alguns dos estudos que realizamos à nível mais técnico, mas há também estudos com painel sensorial, que dão um ranking de percepção da suavidade que o produto gera depois de uma lavagem. Então, por exemplo, para pele isso é algo que está dentro dos dados que temos, onde através de diversos painelistas, mostramos como resultado dessa aplicação a redução da aspereza e facilitação no enxágue, seja no tempo gasto ou na quantidade de água que usamos para remover, o que também se aplica para os cabelos. Esse é um claim muito interessante, pois também conseguimos dentro da aplicação, promover menor consumo de água.

 

Uma questão que tem ficado mais forte é a dos cabelos afro, ou seja, de como cuidar deles, sem usar produtos químicos para deixá-los lisos, sendo que também podemos ajudar a conseguir que a naturalidade se torne melhor. Acho que isso vai responder a essa tendência de gerar produtos também para cabelos típicos da América Latina e nesse caso, estou falando mais do mercado brasileiro, que é muito amplo.


 

Considerando a aplicação de biopolímeros em produtos que contém fragrâncias, foi verificado alguma alteração na performance tanto do produto, quanto da própria fragrância?

 

A verdade é que não há alteração, porque esse produto está mais focado na parte funcional. Ele não altera a viscosidade, nem o pH. Na verdade, os protótipos que temos e que estamos apresentando globalmente possuem fragrâncias específicas da IFF. Nós trabalhamos com fragrâncias um pouco mais padronizadas, ou seja, não mudamos de fragrância para não gerar problema de percepção. Logo, não há risco de incompatibilidade ou que possa chegar a afetar, pelo contrário, o que fazemos muito é que junto com o time de vendas, quando um cliente quer gerar um conceito para um novo produto ou navegar por uma tendência, o time de fragrâncias pode oferecer esse conceito, apresentando por exemplo, uma fragrância de lavanda que evoca frescor e suavidade.

 

Conclusão

 

A IFF procurou desenvolver um polímero que reunisse as condições ou os benefícios, por exemplo, de um polímero sintético com o mesmo desempenho ou ainda maior, mas baseado na biodegradabilidade, na sustentabilidade, proporcionando tudo isto a um produto mais verde e mais amigável com o meio ambiente.


Esta tecnologia de ponta pode ser facilmente penetrada na indústria através de todos os seus benefícios. O interessante é que toda essa categoria de ingredientes possui estudos clínicos e in vitro, que permite que os fabricantes incluam-os dentro de suas formulações e aproveitem os estudos, como por exemplo auxiliando os formuladores no momento de escolherem as matérias-primas.

 

A empresa trabalha com os principais players de cuidados pessoais à nível global, o que os torna parceiros estratégicos, oferecendo não somente propostas olfativas, como também propostas de ingredientes ativos, conseguindo assim oferecer conceitos muito mais robustos ao mercado.

 

“O futuro da inovação na IFF, obviamente apresentará novidades da parte de fragrâncias, porém queremos poder investir todos os esforços em ativos, porque para responder às necessidades, precisamos inovar, mas levando em questão a sustentabilidade. É muito revolucionário.” – Carolina Montefrio, líder de Personal Care da IFF para a América Latina.

 

 

 

Por,

Gisele Barros

Editora Chefe do Portal ALL SENSEZ

Especialista no Mercado de Fragrâncias

Consultora de Comunicação Especializada em Perfumaria








Comentarios


bottom of page