top of page

ATENÇÃO PLENA E ALZHEIMER: EXISTE, DE FATO, UMA LIGAÇÃO?

Com o mudanças de hábito feitas por Chris Hemsworth impactam a doença



Chris Hemsworth, ator mundialmente conhecido por interpretar o Thor nos filmes da Marvel, descobriu uma predisposição ao Alzheimer enquanto gravava a série Limitless with Chris Hemworth - que fala sobre longevidade. Desde então, o astro tem relatado em suas redes sociais as mudanças feitas em seus hábitos em busca de diminuir esse risco. E, consequentemente, despertado a curiosidade do público sobre a eficácia dessas mudanças.

Foi o que aconteceu no último final de semana, quando um depoimento feito pelo ator na série viralizou nas redes sociais. No qual, ele diz:

"Sempre fui bastante consistente com meus compromissos de exercícios, mas ultimamente tenho sentido a importância de reservar um tempo para mim mesmo, sem qualquer voz ou estímulo externo, e reservar um tempo para a quietude", (relato ao programa já disponível no Disney+).

De acordo com Veridiana Julião, professora de meditação do Zen App, o que o ator descreve é exatamente o que se espera de uma prática de meditação mindfulness: períodos de quietude, sem vozes ou estímulos externos. E, ainda segundo explica, já existem pesquisas que relacionam esse estilo de meditação ao Alzheimer.

"Uma pesquisa feita na Universidade do Sul da Califórnia e publicada na revista Nature, por exemplo, analisou os efeitos dos pranayamas (exercícios de respiração comuns na meditação) no cérebro e concluiu que há uma ajuda na higienização do cérebro e, consequentemente, na prevenção de doenças como o Alzheimer".


A pesquisa citada pela professora analisou 108 voluntários que foram divididos em dois grupos: metade fazia os pranayamas e metade trabalhava apenas mentalizações. Em ambos os casos, as práticas eram diárias e com duração de 20 a 40 minutos.

O mesmo exame clínico foi feito no início e final da prática e notou-se a diminuição das proteínas associadas à demência entre os participantes que focaram em respirar - tanto nos mais jovens quanto nos idosos do grupo.

"Existem inúmeras maneiras de praticar mindfulness, não há como saber qual foi a escolhida pelo ator… mas os benefícios estão sendo estudados e comprovados o tempo todo", finaliza a professora.

Para quem quiser começar, o exercício de respiração escolhido na pesquisa citada foi o de tempos iguais, ou seja, a pessoa deveria inspirar por cinco segundos e soltar o ar pelo mesmo tempo. Para quem nunca tentou, a última dica da professora do Zen App é não começar com um tempo de permanência tão longo como o sugerido na pesquisa. Segundo ela, o sucesso está na constância e não na intensidade. Sendo assim, o ideal é começar com práticas mais curtas e ir aumentando o tempo de permanência conforme o corpo e a mente se acostumarem.



Por,

Gisele Barros

Editora Chefe do Portal ALL SENSEZ

Especialista em Perfumaria



コメント


bottom of page